Now Reading:
Asset management: entenda o que é e como funciona no mercado imobiliário
Full Article 12 minutos lido

Asset Management — ou gestão de ativos, em português — é um agrupamento de serviços voltados à manutenção, gestão do uso e compra de patrimônio de terceiros, que atende tanto pessoas físicas quanto jurídicas.

No mercado imobiliário, trata-se de um suporte a investidores na administração de seus bens, sejam eles destinados à moradia, ao comércio ou à indústria. O objetivo é o de potencializar os ganhos que esses pertences geram. Esse apoio serve ainda para orientar sobre como empregar o dinheiro na aquisição de imóveis que tenham potencial de retorno favorável.

Ficou interessado em saber mais sobre o assunto? Então, leia, neste post, dicas sobre como esse modelo pode turbinar a rentabilidade de seu negócio. Confira!

Qual é a atuação do Asset Management?

O Asset Management é um serviço que possibilita uma assistência para os proprietários, que ficam desobrigados da participação na burocracia, típica nas operações de compra, venda e locação de imóveis.

Assim, o cliente desses serviços pode dedicar-se às atividades mais relevantes para o negócio ou administrar o seu tempo como preferir – ter mais tempo livre com a família, por exemplo.

A gestão, por meio desse método, atende aos diversos tipos de propriedades, como os comerciais, industriais, residenciais, imóveis de luxo e populares. Nesse controle, estão incluídos pareceres sobre as condições físicas de um apartamento ou uma casa.

Também faz parte dos serviços uma análise conjectural do bairro onde determinado imóvel está inserido, como a estrutura no entorno, se possui escolas, vias adequadas ao transporte, segurança e outros itens. Desse jeito, fica mais fácil definir o valor do aluguel ou até da compra.

Qual é a tecnologia usada para o Asset Management?

As empresas que são referência nesse setor contam com aplicativos criados justamente para a administração da locação e os serviços inerentes a ela. Dessa maneira, o dono não tem dor de cabeça para controlar datas de pagamentos, prazos de contratos que estão vencendo, acertos com seguradoras e outros itens. Assim, o risco para o cliente é minimizado até chegar a quase zero.

Desse jeito, por meio de plataformas modernas e fáceis de usar, você acessa dados sobre seu portfólio via online, ou seja, de qualquer lugar onde exista Internet.

Por meio da tecnologia, é possível conferir os pagamentos que já foram efetuados, a lista de locatários inadimplentes, o índice dos reajustes, o valor do aluguel total e por metro quadrado, os imóveis que ainda estão vagos e também documentos, como laudos de vistoria, apólices de seguro, plantas, entre outros vários serviços.

Quais são os serviços de Asset Management?

Entre os serviços disponíveis no Asset Management, é possível citar:

§  gerenciamento dos contratos de aluguel;

§  negociação para reajustes;

§  atualização dos acordos e prazos;

§  inspeção sobre condições de utilização pelo inquilino;

§  produção de minutas e outros documentos;

§  defesa do proprietário em reuniões de condomínio;

§  recolhimento e gerenciamento de garantias e seguros;

§  melhoramento e upgrade do pecúlio;

§  manejo dos pagamentos de IPTU e outras taxas.

É preciso, porém, ter muita cautela na hora de escolher a empresa que cuidará do seu patrimônio. O ideal é optar por imobiliárias de confiança, que tenham bastante tempo de atuação. Outro quesito que você deve verificar é a opinião de quem já é cliente. Assim, você pode descobrir se o atendimento oferecido é mesmo de qualidade.

Também é bom que a imobiliária conheça a região da cidade na qual seu bem está localizado. Lembre-se de que o bairro influencia na composição dos preços por metro quadrado. Por essa razão, quanto mais expertise a prestadora de serviços tiver sobre a área nos arredores da propriedade, mais chances ela terá de aumentar o retorno sobre esses investimentos.

Quais são as vantagens do Asset Management?

Agora que você já entendeu o conceito de gestão de ativos e os serviços que estão inclusos nessa prática, conheça as vantagens de implantá-la em sua empresa.

Redução de custos

Um dos benefícios do Asset Management é a queda nos gastos com seus ativos. Isso porque esse processo conta com profissionais especializados em temas importantes no gerenciamento de contratos de locação.

Entre esses tópicos estão, por exemplo, as vistorias técnicas, que têm de ser realizadas regularmente. Elas servem para verificar a condição atual da edificação alugada e se ela vem sofrendo avarias que, no futuro, podem comprometer a sua valorização.

Imagine que um locatário, sem avisar, resolva fazer uma obra na qual será necessário mexer na estrutura. Suponha ainda que ele sequer tenha obtido as licenças necessárias junto aos órgãos de fiscalização, como uma prefeitura ou um sindicato da construção civil.

Nessa situação, você estaria correndo riscos de um prejuízo enorme. Afinal de contas, a casa ou o apartamento estão no seu nome.

O sistema, no entanto, realiza essas análises sem que os donos precisem se preocupar. Não é necessário marcar uma data com o locatário, tampouco passar por circunstâncias constrangedoras de desentendimentos.

Mais um incentivo é que a remuneração desses serviços não exige grandes investimentos do contratante. Geralmente, são cobrados valores porcentuais sobre os lucros e uma taxa para cobrir as despesas com a administração.

Aumento de ganhos

Fortalecer as retribuições originárias do patrimônio do cliente é o principal intuito desse método de gerenciamento. Isso acontece de diversos modos — e um deles é com a avaliação dos preços —, conforme a realidade do segmento, o que varia de cidade para cidade ou de um bairro para outro.

Especialistas fazem uma avaliação muito criteriosa sobre as circunstâncias atuais do mercado imobiliário na área em que o imóvel está inserido. Esses profissionais investigam a situação financeira dos inquilinos, a fim de evitar riscos às receitas dos investidores. Com essas pesquisas em mãos, são iniciadas as negociações sobre o valor do aluguel ou o reajuste dele.

Porém, não é só isso. Depois de bater o martelo com o locatário, as empresas de Asset Management elaboram os documentos necessários para a segurança jurídica dos acordos.

Nas cláusulas, os interesses dos investidores são sempre preservados, o que garante mais tranquilidade. Outra vantagem é encontrar arrendatários que são bons pagadores para os endereços ainda disponíveis.

Facilidade na negociação

Muitos inquilinos não gostam de negociar direto com o proprietário. Por isso, esse modelo de gestão ajuda a aumentar o número de ocupação da cartela, pois faz exatamente essa intermediação.

Há pessoas que, na hora de alugar, temem que ocorram problemas de segurança jurídica ou simplesmente querem evitar os trabalhos gerados pela burocracia. Por causa disso, elas rejeitam fechar o acordo apenas com o dono.

Ao investir na compra de propriedades para alugar, essas empresas também oferecem aconselhamento sobre os melhores bairros para se morar. Assim, a demanda e a procura por seus imóveis estarão garantidas, inclusive a longo prazo, pressionando para cima os valores de seus aluguéis.

Como você pode notar, os serviços de Asset Management são capazes de ampliar a lucratividade de seus bens, além de garantir que eles mantenham o nível de valorização econômica, importante para situações futuras. O retorno das aplicações aumenta, mas o trabalho para consegui-lo reduz.

Quando se fala da realização do sonho da casa própria ou da independência de ter um lugar para morar, é sempre importante zelar pelo patrimônio. Por isso, o seguro contra incêndio é imprescindível quando o assunto são imóveis.

Para garantir a tranquilidade em situações que possam trazer prejuízo, manter a propriedade assegurada é a melhor opção. Com isso, nos contratos de locação, o seguro contra incêndio é obrigatório, enquanto que, para os proprietários, é um investimento em segurança.

Quer saber mais sobre o seguro contra incêndio? Siga com a leitura deste post com todas as informações sobre o seguro!

Como o seguro contra incêndio funciona?

Para realizar o sonho de adquirir uma casa própria, é preciso muito investimento e trabalho. Por isso, o seguro contra incêndio é uma forma de salvaguardar a edificação e os bens que estão dentro do imóvel em caso de algum acidente doméstico que leve a um incêndio.

Todos sabemos que o fogo pode danificar não só a estrutura como destruir os bens móveis que estão dentro da propriedade. Como não é possível garantir que você nunca seja vítima desse tipo de acidente ou fatalidade, o mais importante é manter os seus bens garantidos.

Portanto, contratar um seguro é a forma mais eficaz de garantir a proteção dos seus bens, com um baixo investimento.

Quem paga o seguro: proprietário ou inquilino?

O seguro contra incêndio é realizado a partir do cálculo do valor necessário para reconstruir o imóvel em caso de danos causados pelo fogo. O cliente adquire uma apólice que lhe dá direito a receber o apoio especializado de profissionais que repararão o imóvel e, também, o valor necessário para custear os danos.

Diferentemente do seguro residencial, que prevê um valor para a reconstrução da parte estrutural em caso de dano por fogo, o seguro contra incêndio garante que tudo que for danificado deve ser novamente reconstruído.

Seguindo a Lei do Inquilinato, é de responsabilidade do proprietário arcar com as despesas como IPTU, seguro contra incêndio e taxas residenciais. No entanto, existem algumas brechas que preveem que esse custo possa ser repassado ao inquilino.

Portanto, quem será o responsável pelo pagamento deve estar descrito no contrato de locação do imóvel, o qual regerá as regras, os direitos e deveres dessa negociação. Mas uma coisa é certa: a contratação do seguro é obrigatória no caso de apartamento, uma vez que o seguro das áreas comuns do condomínio não protege cada uma das propriedades.

Como contratar o seguro?

O primeiro passo é buscar uma seguradora que ofereça os serviços de proteção contra incêndio. No questionário inicial, você deve repassar os dados do imóvel e a localização, além de optar por serviços adicionais que você tenha interesse em contratar junto com a apólice de seguro.

Um orçamento é realizado, e a empresa repassa ao cliente todas as cláusulas do contrato e as garantias que estão sendo cobertas pelo seguro. Normalmente, em 24 horas após a contratação do serviço, o imóvel já está assegurado, prevenindo que o cliente venha a incorrer em prejuízos no caso de danos causados pelo fogo.

Quais são as coberturas e vantagens?

Ninguém espera passar por um incêndio na residência. No entanto, essa é uma fatalidade da qual não estamos livres. Mesmo tomando os cuidados devidos e realizando as manutenções necessárias, um simples curto-circuito pode ser o gatilho para o fogo tomar conta do imóvel.

Em caso de incêndio, o seguro é acionado para garantir que os seus bens sejam repostos e você possa reestruturar a sua propriedade o mais rápido possível e sem prejuízos.

Cobertura

A cobertura é calculada mediante a listagem de eletrodomésticos, eletrônicos e móveis que estão na apólice do seguro, além da metragem do imóvel que consta na planta. Para a reconstrução, os tipos de coberturas contratadas devem estar descritos no contrato.

Vantagens

A grande vantagem da contratação do seguro é garantir que os seus bens e a estrutura da edificação sejam reparados após um incêndio, mas sem trazer prejuízos para o proprietário do imóvel. Por esse motivo, em apartamentos ou em contratos de locação, a aquisição desse tipo de proteção é obrigatória.

Quanto custa o seguro?

O preço varia de acordo com o tipo de edificação e a metragem do imóvel. No entanto, os seguros residenciais custam em média 0,4% do valor total da propriedade. Esse valor é calculado com base no quanto será necessário para reconstruir o imóvel em caso de incêndio.

Outro ponto que também altera o valor médio de um seguro contra incêndio são os serviços adicionais que podem ser contratados pelos clientes.

Quais são os serviços adicionais para esse seguro?

Além da contratação de um seguro contra incêndio, o cliente também adquire uma apólice com outras garantias que deixam o imóvel assegurado em diversas situações que possam ocorrer corriqueiramente.

Listamos alguns dos seguros mais comuns para serem realizados junto com a proteção contra incêndio. São eles:

  • cobertura para responsabilidade civil familiar;
  • cobertura para acidentes pessoais;
  • cobertura contra roubo e furto;
  • cobertura para assistências residenciais.

Não basta somente investir em um imóvel, é preciso, também, garantir que todo o seu investimento não fique desprotegido. Por isso, é importante contratar um seguro residencial contra incêndio para minimizar as perdas em caso de danos causados pelo fogo.

E aí, o que achou do nosso post? Quer saber mais sobre os benefícios de quem aplica o dinheiro no mercado imobiliário? Então, entre em contato conosco! Ficaremos felizes em ajudar!

 

Input your search keywords and press Enter.