Now Reading:
Quais são os fatores relacionados com a qualidade de vida?
Full Article 11 minutos lido

Hoje em dia, todo mundo fala sobre qualidade de vida. Mas você já parou para se perguntar o que seria isso que as pessoas tanto buscam? Podemos dizer que o conceito não tem uma definição fixa, porque as pessoas têm percepções diferentes.

No entanto, apesar da subjetividade, a ideia de qualidade de vida está relacionada a alguns fatores. Ao compreender a importância deles, é possível realizar as mudanças necessárias para atingir o bem-estar desejado.

Se você pretende melhorar sua qualidade de vida ou de sua família, mas ainda se sente um pouco perdido, sem saber exatamente por onde começar e o que fazer, conhecer esses fatores pode ajudar.

Quer saber quais são? Continue a leitura e descubra!

Qualidade de vida e saúde

Alimentação, atividade física e saúde mental precisam andar sempre juntas e atender requisitos mínimos para uma boa saúde. A adoção de hábitos saudáveis melhora a condição física e mental do indivíduo, permitindo que ele aprecie a vida em sua totalidade, ou seja, tenha qualidade de vida.

Alimentação

É um dos pilares da saúde. Uma alimentação equilibrada supre todas as necessidades do organismo e reduz sintomas como mal-estar, indisposição, fraqueza e tantos outros que afetam o cotidiano. Além disso, uma nutrição adequada evita o desenvolvimento de muitas doenças.

Prática de atividade física

Assim como a alimentação, a prática de atividade física é um dos elementos que compõem a saúde. Exercitar-se regularmente fortalece os ossos e a musculatura, condiciona o corpo, dá disposição e previne doenças. E não menos importante, a realização de exercícios físicos pode ajudar a melhorar a aparência. Sentir-se bem com a própria imagem traz autoconfiança e contribui para a autoestima, requisitos essenciais para uma mente saudável.

Saúde mental

Ansiedade, estresse, esgotamento, isolamento, pânico e depressão são alguns dos problemas que as pessoas podem enfrentar quando estão com a saúde mental abalada. Eles provocam dificuldade no relacionamento com familiares, amigos e colegas de trabalho, baixo rendimento nas atividades, desenvolvimento de alergias e outras doenças. Essas consequências impõem limitações à rotina e afetam as vivências pessoais e profissionais, diminuindo consideravelmente a qualidade de vida.

Manter a saúde emocional e psicológica em dia ajuda a evitar esses quadros e desfrutar boa disposição individual e social. No caso de algum distúrbio já ter se instalado, é fundamental tratar e voltar logo a ter ânimo e energia.

Qualidade de vida e trabalho

A qualidade de vida também envolve estabilidade financeira, posto que sem dinheiro não há como atender as necessidades básicas. Assim, fica impossível manter a saúde adequada, garantir uma boa educação aos filhos, ter conforto, poder viajar e realizar planos.

As pessoas, de modo geral, precisam obter recursos suficientes para promover o estilo de vida que desejam. Na atualidade, esse objetivo exige significativo esforço, já que estamos na era da globalização, na qual as mudanças — que abrangem a economia — ocorrem em um piscar de olhos.

Isso tudo pode gerar excesso de trabalho e acabar atingindo o lado psicológico de quem vive sobrecarregado. Consequentemente, a relação com os colegas, a produtividade e até a vida pessoal são prejudicadas. Como muitos passam a maior parte do dia trabalhando, o ambiente corporativo precisa ser saudável para produzir satisfação na execução das tarefas. Assim, o trabalho torna-se mais leve e prazeroso, dando abertura a melhores resultados.

Qualidade de vida e lazer

A realização de atividades de lazer é primordial para uma qualidade de vida. Elas incluem tudo aquilo que o indivíduo gosta de fazer e valoriza. Então é um fator que sofre bastante influência cultural e varia entre as pessoas. Sendo assim, abrange passar mais tempo com a família e os amigos, participar ativamente da vida dos filhos, frequentar bons restaurantes e aderir a um novo hobby, por exemplo.

Ao se abandonar por completo essas práticas, é comum surgirem sensações de vazio e incompletude. Por isso, afazeres que deixam a vida mais leve e feliz precisam ser encarados como prioridade.

Qualidade de vida e meio ambiente

A qualidade de vida também está relacionada ao meio ambiente, já que a poluição do ar e dos rios, o excesso de barulho e o mau gerenciamento do lixo — ao lado da redução das áreas verdes — têm causado doenças físicas e psicológicas.

Viver em uma região que respeita o meio ambiente contribui decisivamente para evitar esses males. Essa escolha permite benefícios como desfrutar o ar puro de uma região arborizada, ouvir o canto dos pássaros e apreciar o verde. A conexão com a natureza se converte em bem-estar, tranquilidade e redução dos níveis de estresse.

Há quem considere irrelevante essa interação com os espaços abertos, porém, esse contato alivia a irritabilidade que os ambientes caóticos causam. Além disso, frequentar parques, praças e áreas ajardinadas proporciona qualidade de vida em todas as idades, principalmente na infância.

Qualidade de vida e moradia

Da mesma maneira que o meio ambiente natural, a moradia influencia fortemente a qualidade de vida. Sendo que o conceito de moradia abrange tanto o lar quanto sua localização.

Ambos precisam atender necessidades fundamentais e promover ampla comodidade, segurança, bem-estar e oportunidades. Somente a união dessas condições é capaz de fazer os moradores se sentirem plenamente assistidos e felizes. Então, para se morar bem, é preciso considerar alguns aspectos.

Modalidade da residência

O imóvel onde se vive deve ser agradável, espaçoso, funcional e seguro, pois isso reflete diretamente no nível de satisfação de cada morador e no conforto experimentado pela família. Os problemas que costumam surgir em espaços incompatíveis com as necessidades dos moradores incluem falta de privacidade e desconforto. Para garantir que nada disso atrapalhe sua qualidade de vida, é primordial escolher a residência certa.

Deve-se, então, resolver entre morar em casa ou apartamento, decidir quantos dormitórios a construção precisa ter e até mesmo pensar na quantidade de vagas na garagem.

Localização do imóvel

A localização é crucial para a qualidade de vida, porque a infraestrutura de um lugar é determinante para o dia a dia dos seus moradores. Portanto, quanto melhor for a região, maior o leque de opções disponíveis. Nesse sentido, bairros com infraestrutura de alto nível são os mais indicados. Portanto, encontrar uma localidade completa faz parte do esforço a empreender em busca de uma vida plena e feliz.

Quem tem filhos, por exemplo, deve considerar que a residência precisa corresponder às expectativas deles também. Inclusive, o desenvolvimento das crianças está ligado às condições existentes em torno do local de moradia, como acesso facilitado à educação de alto nível. Comércios, serviços e opções de entretenimento são outras facilidades desejáveis, pois permitem maior rendimento do tempo, menos transtornos com trânsito e uma rotina completa e prática.

Segurança da localidade

O fator segurança faz parte do conjunto de atributos relacionados à qualidade de vida. A importância desse quesito é óbvia, já que não se consegue ter uma rotina saudável e feliz enquanto se convive com o medo. Nesse sentido, optar por morar em uma localidade reconhecidamente segura está entre as providências para viver bem. Vale ressaltar que muitos dos lugares mais sossegados da cidade mantêm essa característica em razão de certas especificidades.

Boa vizinhança e predominância de residências contam entre as singularidades costumeiramente percebidas nos locais tranquilos. Os lugares nos quais esse conjunto de itens encontra-se somado costumam ser consagrados como excelentes em qualidade de vida. Escolher um deles como moradia equivale a garantir, para si próprio e à família, uma rotina propícia a grandes realizações.

O que fazer para aumentar a qualidade de vida

Você acompanhou os pontos centrais em torno da qualidade de vida, agora chegou o momento de conhecer algumas providências que podem fazer toda a diferença no seu dia a dia. São cuidados simples, que demandam principalmente determinação, mas significam muito para a qualidade de vida.

Confira quais atitudes podem ajudar a colocar ainda maior bem-estar no seu viver!

Tenha boas noites de sono

Dormir bem é essencial para manter corpo e mente em bom funcionamento e aproveitar ao máximo a vida. Por isso, não descuide da qualidade do seu sono, já que dela depende sua energia e vitalidade. Para descansar bastante, apague as luzes e reduza os ruídos — ideal mesmo é o total silêncio. Nada de TV ligada, pois ela atrapalha o repouso, podendo fazer você levantar com sensação de cansaço.

Quanto ao número de horas a dormir, o indicado para os adultos gira em torno de 7 horas por noite.

Exercite o autocontrole

Reagir rápido demais e intensamente às situações é caminho certo para o estresse. Já o contrário contribui decisivamente para um cotidiano mais prazeroso. Dessa maneira, conseguir controlar os nervos faz parte de uma vivência com elevados níveis de satisfação. Nesse sentido, ao lidar com as adversidades, concentre seus esforços em manter a calma. Respire uma vez, duas, dez, quantas vezes forem necessárias, mas não extrapole, nem saia do sério.

A ansiedade também deve ser mantida sob controle, pois é inimiga da qualidade de vida. Assim, evite vivenciar as preocupações futuras, cuide de um problema de cada vez e deixe para o amanhã as demandas que a ele pertencem.

Cultive otimismo

A atitude diante da vida é uma questão de opção, pois os problemas surgem, mas a forma de encará-los você é quem decide. Assim, evite se deixar abater pelas dificuldades e fuja de cultivar mau humor e de se habituar a murmurar. Nos momentos difíceis, procure ver o lado bom e ser otimista, para ficar firme e superar os obstáculos. Essa resiliência serve como antídoto ao derrotismo, ainda mais quando aliada a um sorriso no rosto.

Por falar em sorriso, ele ajuda a aliviar a tensão, relaxa a musculatura do rosto e afasta o cansaço do semblante. Sem contar a simpatia que expressa, que se contrapõe a uma aparência de rigor e austeridade, capaz de aproximar as pessoas.

Evite hábitos prejudiciais

Qualidade de vida se constrói cotidianamente, com o abandono de hábitos prejudiciais e adoção dos costumes saudáveis. Entre o que merece ser deixado de vez está o cigarro, causador de uma quantidade imensa de doenças. Para os aficionados pelo açúcar, substituir os doces por frutas e usar adoçante no cafezinho diminui o risco para diabetes e obesidade. Quem capricha no sal, ao diminuir o consumo desse ingrediente, terá a pressão em níveis mais satisfatórios.

O sedentarismo pode ser combatido com simples trocas, como deixar o carro e pedalar, usar as escadas em vez do elevador e largar a TV pela academia.

Alimente boas amizades

Certamente você já ouviu a máxima “quem tem amigos tem tudo”. Pois é, a socialização está ligada a ganhos mentais para lá de relevantes. Por isso, separe um tempo para suas amizades, de modo a evitar longos distanciamentos. Invista na formação de vínculos e procure conhecer novas pessoas, que ampliem seu círculo social. Essa escolha pode potencializar suas habilidades de interagir e se traduzirá em apoio e motivação para a vida.

Trabalhe sua autoestima

Fortalecer a autoestima é um remédio para sensações de inadequação e funciona como propulsor de grandes conquistas. Alcançar essa condição depende de conhecer a si próprio, reconhecendo suas potencialidades e os pontos a serem trabalhados. Promover essa autoanálise permite aprimorar atributos e ajustar comportamentos, o que resulta em crescimento pessoal. Consequentemente, elevação da autoestima e percepção do que fazer para mantê-la em alta.

Respeite sempre o seu próprio ritmo

O senso comum estipula a idade ideal para ganhar o primeiro milhão, decidir pela aposentadoria — e por aí segue uma enorme lista. Esse vasto “calendário de compromissos” resolvido por outros acaba gerando angústia, principalmente quando o ritmo dos eventos pessoais não condiz com o propagado pelo costume.

Não se permita envolver, respeite seu tempo e faça os acontecimentos fluírem independentemente da expectativa alheia. Afinal, a vida é sua, e quem deve resolver as prioridades é você, livre de cobranças e com direito a mudar sua trajetória, se assim quiser.

Agora que você conhece os fatores relacionados à qualidade de vida, é possível direcionar seu caminho para obtê-la. Sempre com foco no equilíbrio de todos os fatores que mencionamos, imprescindíveis ao bem-estar. Lembre-se de que conquistar essa condição demanda aliar diversos ganhos em um único sentido: o da realização pessoal e familiar.

Tem alguma dica extra sobre qualidade de vida, ou quer compartilhar a sua opinião sobre o tema? Comente agora aqui no post!

Input your search keywords and press Enter.